quinta-feira, 21 de julho de 2011

Horrores da Bíblia - Descubra a Verdadeira Face de Jeová.





"Atenção: Este post é atualizado constantemente , pois sempre aparece algum texto novo denunciando o monstro chamado Jeová , então seria uma covardia de minha parte não agregar mais informações neste artigo não é mesmo?"


Olá a todos.

Vamos falar um pouco mais sobre o livrinho mágico , o gibi levado a sério e tido como "palavra de deus" por milhares de cérebros lavados.

Se você já acompanha algum tempo o meu blog , já deve ter lido o meu post , Algumas Considerações sobre a Bíblia  e creio que concorda que este livro é um prato cheio de horrores , tirania e idiotices.

Pesquisando na net , achei um texto muito bom sobre a bíblia e quero compartilhar com você , acompanhe:


Os Horrores da Bíblia

A Bíblia (O Grande Livro da Mentira) é o livro mais vendido de todos os tempos. É também um dos menos lidos. A imagem que se tem da Bíblia é de um livro santo, que prega o amor, a bondade, a humildade. Ledo engano. A Bíblia, principalmente o Antigo Testamento, tem passagens sangrentas e cruéis, de fazer inveja aos piores filmes de horror.

Quando Moisés desceu do Monte Sinai com as tábuas da lei percebeu que seus seguidores faziam orgias e adoravam um bezerro de ouro (Êxodo, 32:27-8). Furioso, vociferou: “Ponde cada um de vós a espada a seu lado. Percorrei o acampamento e voltai, de portão a portão, e matai cada um o seu irmão, e cada um o seu próximo, e cada um o seu conhecido próximo”. “E os filhos de Levi passaram a fazer o que Moisés dissera, de modo que naquele dia caíram do povo cerca de três mil homens”.

Em Deuteronômio 20:10 e sgs., encontramos trechos horripilantes. Jeová (O Tirano), o Deus do Antigo Testamento, o mesmo que dissera “não matarás”, aconselha aos hebreus que, ao encontrarem outro povo, façam proposta de paz. Se aceitarem a paz, deverão ser escravizados para fazer trabalho forçado. Se recusarem a proposta de paz, Jeová os entregará nas mãos dos hebreus, que deverão matar todos os homens com o fio da espada. Em seguida, deverão saquear todos os despojos, inclusive as mulheres, as criancinhas e os animais domésticos.

No mesmo livro, cap. 7, Jeová diz que seu povo escolhido deverá aniquilar sete povos que lhes serão oferecidos. “E tens que consumir todos os povos que Jeová, teu Deus, te dá. Teu olho não deve ter dó deles”.

Jeová não brinca em serviço. Em II Crônicas 15:13, sentencia: “...todo aquele que não procurar por Jeová, o Deus de Israel, seja jovem ou velho, homem ou mulher, deverá ser morto”. Em Êxodo 22:20, demonstra sua absoluta intolerância: “Quem oferecer sacrifícios a quaisquer deuses, e não somente a Jeová, deverá ser completamente destruído”.

Em Deuteronômio 22:22-23: “Caso um homem seja encontrado deitado com uma mulher que não tenha dono, ambos têm que morrer juntos...” E continua: “...tendes que levá-los para fora do portão daquela cidade e tendes de matá-los a pedradas, e eles têm que morrer”.

Em Deuteronômio 21:18, Jeová ordena que, se um homem tiver um filho obstinado e rebelde, ele e a mãe devem levá-lo para fora da cidade, chamar os anciãos e dizer-lhes que o filho deverá morrer. Todos os homens da cidade deverão atirar pedras nele até morrer. Obra no sábado e deverá ser morto. Sendo assim, toda a cristandade, com a possível exceção dos adventistas (que guardam o sábado), deveria ser exterminada da face da terra.

Olho por olho – a pena de talião – é a lei do Antigo Testamento. Não há lugar para perdão nem piedade. No entanto, Jesus, o mesmo Jesus que mandou dar a outra face, no Novo Testamento, também tem momentos de furor, como em Mateus 10:34: “Não penseis que vim estabelecer paz na terra; vim estabelecer, não a paz mas a espada. Pois vim causar divisão; o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe. Deveras, os inimigos do homem serão pessoas de sua própria família. Quem tiver maior afeição pelo pai ou pela mãe maior que por mim, não é digno de mim; e quem tiver maior afeição pelo filho ou pela filha que por mim não é digno de mim”.

Quem duvidar, que confira!



Os Horrores da Bíblia

Autor: Huascar Terra do Valle



Parte I

Para quem gosta de histórias de horror, a Bíblia é um prato cheio. Escondido no meio de milhares de versículos, podemos topar com cenas de arrepiar os cabelos.

Em Gênesis, por exemplo, encontramos um episódio, no mínimo, bizarro. Como todos sabem, Abraão foi o patriarca dos Hebreus. Com seu pai, sua mulher e seu sobrinho Lot, Abraão saiu da cidade de Ur, no baixo Eufrates. Encaminharam-se para Harrã, nas cabeceiras do mesmo rio, uma cidade santa dedicada ao culto de Sin, o deus-lua, o mais importante do panteão sumeriano. Depois, Lot se separou de Abraão e foi morar em Sodoma, a cidade do pecado.

Conta a Bíblia que, certa vez, Lot hospedou dois anjos em sua casa. À noite, alguns homens de Somorra bateram à porta de Lot e disseram-lhe que sabiam que ele tinha dois hóspedes e que eles, os homens de Sodoma, queriam ter relações sexuais com os visitantes. Quem duvidar que confira: Gênesis 19.

Lot ficou apavorado. Para acalmar os tarados, disse que tinha duas filhas virgens e que as daria para os homens, a fim de poupar seus hóspedes. Poderiam fazer o que quisessem com suas filhas.

Os homens de Sodoma não aceitaram a proposta e invadiram a casa. Então, os anjos cegaram os homens e mandaram Lot fugir de Sodoma, que seria destruída por Deus.

Os horrores continuam. Depois que fugiram de Sodoma, as filhas de Lot disfarçaram-se de prostitutas, embebedaram o pai com vinho e tiveram relações sexuais com ele, a fim de “preservar sua raça”. Das relações incestuosas nasceram Moab e Amon, patriarcas dos moabitas e dos amonitas, tribos árabes vizinhas de Israel.

Antes deste espetáculo grotesco, encontramos outra cena curiosa. O Deus bíblico de então, que ainda não tinha revelado seu nome aos hebreus (Iavé), disse a Abraão que iria destruir Sodoma. Assustado com a ameaça divina, Abraão pergunta a Deus o que faria se houvesse em Sodoma cinqüenta homens de bem. Deus disse que não destruiria a cidade, em respeito aos cinqüenta homens de bem. Abraão anima-se e começa a pechinchar com Deus. Pergunta o que Deus faria se houvesse apenas quarenta e cinco homens de bem. Deus atende à pechincha e diz que pouparia a cidade. Depois Abraão baixa para quarenta, e Deus concorda. No fim, Deus concorda em não destruir a cidade se encontrasse apenas dez homens de bem.

O que é assustador nesta conversa é a noção antropomórfica do Deus do Antigo Testamento. O Deus dos primeiros capítulos da Bíblia, embora seja todo-poderoso, criador dos céus e da terra, é uma figura humana, com pernas e braços, cabeça, e certamente uma respeitável barba. Possivelmente tem uma esposa e até uma residência que, de acordo com o velho testamento, é o Templo de Salomão, que, aliás, foi destruído por Tito Flávio Vesásiano há quase dois milênios.

Em outro local, depois que Adão e Eva cometeram o pecado original, sentem vergonha de Deus. Quando pressentem que Deus se aproxima, escondem-se dele atrás de um arbusto. Diz o texto sagrado que Deus estava aproveitando “a fresca da manhã”.

Este é o livro mais vendido no mundo, e o mais respeitado. Consta que foi escrito sob inspiração divina, como se o próprio Deus o tivesse escrito. Ele é tão respeitado que, em alguns tribunais, as pessoas fazem juramento com as mãos sobre a Bíblia. A explicação é simples. Embora a Bíblia seja livro mais vendido de todos os tempos, é também o menos lido.



Parte II

“Não matarás”, reza o sexto mandamento de Jeová (Êxodo 20:13). Segundo a tradição, a Bíblia foi escrita sob inspiração divina, como se o próprio Deus a tivesse escrito.

Se Deus é infinitamente bondoso, é inconcebível que ele cometa a mínima crueldade com qualquer ser humano. Assim pensam os que veneram a Bíblia. Veneram porque não a leram.

Este Deus, criador dos céus e da terra, não poderia ser bom para uns e mau para outros. No entanto, podemos encontrar na Bíblia um desfile de horrores, que nada fica a dever aos filmes de Frankenstein. Quem não acreditar, que confira.

No começo do segundo milênio AC, Jeová, o deus do Antigo Testamento, retira Abraão e sua família da cidade de Ur, na baixa Mesopotâmia, e dá-lhes de presente uma terra “onde corre leite e mel”, a lendária Canaã (Palestina).

Jeová, o mesmo que disse “não matarás”, diz, com todas as letras que, para se apossarem da terra que lhes foi ofertada, eles têm que aniquilar sete nações (Deuteronômio, 7:1-6): “Quando o senhor teu Deus te introduzir na terra à qual passará a possuir, e tiver lançado muitas nações diante de ti, os heteus, os girgaseus, os amorreus, os cananeus, os ferezeus, os heveus, os jebuseus, sete nações mais numerosas e mais poderosas do que tu; e o Senhor Deus as tiver dado diante de ti, para as ferir, totalmente as destruirá; não farás com elas aliança, nem terás piedade delas... Derribareis os seus altares, quebrareis suas colunas, cortareis os seus postes-ídolos e queimareis suas imagens de escultura”.

As ordens de Jeová são claras, como em Deuteronômio 7:16: “E tens que consumir todos os povos que Jeová, teu Deus, te dá. Teu olho não deve ter pena deles...”.

Em Deuteronômio 13:15-16, o rol de barbaridades atinge o clímax: “Então, certamente, ferirás a fio de espada os moradores daquela cidade, destruindo-a completamente e tudo o que nela houver, inclusive os animais domésticos. Ajuntarás os despojos no meio da praça e a cidade e todo o seu despojo queimarás por oferta total ao Senhor, teu Deus, e será montão perpétuo de ruínas, e nunca mais se edificará”.

Estas barbaridades são apenas uma amostra do verdadeiro festival de horrores do Antigo Testamento. No entanto, mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo – católicos, protestantes, evangélicos e judeus – consideram este livro a voz de um Deus justo, bondoso, misericordioso, criador dos céus e da terra, que oferece aos homens a oportunidade de salvação eterna em um céu ou um paraíso.

Quantas pessoas foram mortas obedecendo as ordens de Jeová? Qual a quantidade de sofrimento causada pelo aniquilamento dessas nações?

Este mesmo Deus, tão misericordioso, não só pregou as barbaridades que são encontradas na Bíblia como, por meio de seus auto-designados representantes, ainda ameaça com a crueldade infinita do inferno àqueles que, embora tenham levado uma vida santa, esqueceram-se de ir à missa aos domingos ou deixaram de confessar o último pecado.

Autor: Huascar Terra do Valle

Fonte : [http://www.portalufonet.com/news/os_horrores_da_biblia.htm]


Como Jeová lidou com o bullying certa vez.

De já reconheço que isso irá ferir a fé de alguns cristãos, mas esse não é o meu objetivo. O que tenho em mente é fazer uma análise do que Deus fez comparando com atos hediondos hodiernos.

Pois bem, certa vez Elizeu foi alvo de risadas e chacotas de vários meninos. Ele passava e eles começaram a zombar da calvície dele o que lhe gerou muita revolta. Veja só o relato:

Então subiu dali a Betel; e, subindo ele pelo caminho, uns meninos saíram da cidade, e zombavam dele, e diziam-lhe: Sobe, calvo; sobe, calvo! - II Reis 2:23.


O que ele fez perante tais garotos? Ele invocou o mal sobre eles. A Bíblia não é exata sobre o que ele invocou, talvez tenha dito algo do tipo: “Jeová repreenda vocês!”.

O que Jeová fez? Disse a ele que não ligasse pois eram só crianças? O transferiu para um local mais à frente, livrando ele daquela brincadeira zombeteira de criança? Ou será que ele fez algum sinal que amedrontou as crianças para que tais corressem para casa?! A resposta é não, ele não fez nada disso, na realidade, veja o que ele fez:

E, virando-se ele para trás, os viu, e os amaldiçoou no nome do SENHOR; então duas ursas saíram do bosque, e despedaçaram quarenta e dois daqueles meninos. – II Reis 2:24


Deixe-me ver se eu entendi: Haviam dezenas de crianças em determinado local. Elizeu, o careca, ia passando por tais. Elas viram ele e começaram a zombar chamando-o de careca. Ele ficou furioso e invocou o mal sobre tais. Jeová, mesmo tendo zilhões de formas para solucionar a questão resolveu matar quarenta e duas crianças. É ISSO?

Então eu pergunto: Se o Wellington por ter matado 12 crianças inocentes tem sido corretamente rotulado de “O Monstro”, de que chamaríamos a esse Deus então? Quer dizer que quando um homem mata 12 crianças ele é um doente, um monstro, um psicopata, um esquizofrênico e sei mais lá o quê, mas quando Deus mata 42 crianças sem a mínima chance de defesa e por um motivo tão banal é uma coisa que deve ser passada por alto? E também é importante lembrar que a Bíblia mostra que ele não esteve envolvido na morte somente de 42 crianças, foram milhares.

Que direito quem crê nesse Deus tem de chamar Wellington de monstro se o seu Deus é muito mais cruel ainda?

Sei que isso foi forte, mas não pude deixar de tocar nesse assunto. Minhas desculpas a quem se ofendeu.

Fonte : [ http://www.extestemunhasdejeova.net/forum/viewtopic.php?f=20&t=8158 ]


7 comentários:

  1. Olha, eu achei o texto interessante, mas há algumas coisas que vale à pena salientar. Uma dessas coisas é que; a organização da Bíblia como a conhecemos hoje é resultado co Concílio de Niceia, promovido pelo Imperador Romano Constantino I, no ano de 325. Podemos dizer que essa organização da Bíblia foi a melhor empreitada que os católicos podiam fazer, o que demonstra ainda mais o poder e inteligência dos antigos romanos (sou fã dos romanos antigos). A organização da bíblia como conhecemos hoje foi perfeita para a manipulação das massas, demonizando deuses pagãos, que agora possuíam este adjetivo que, a igreja categorizava e categoriza ainda hoje como algo 'pejorativo'. Dentre outras centenas de manipulações. Vou me ater neste assunto. Vamos falar de algo que também vale à pena salientar. Ao estudar história, não pode-se julgar acontecimentos passados com base nas regras e tabus da sociedade atual. Na Roma Antiga (não só nela), era comum a relação entre o mesmo sexo, e dependendo dos envolvidos, era considerada até de extrema honra. É conhecido que nos primórdios dos tempos, muito antes de Abraão ou qualquer outro patriarca, as relações entre pais e filhos, irmãos e irmãs, filhos e mães, etc., era totalmente comum, pois os seres humanos seguiam a única lei que impera até hoje: A LEI DA NATUREZA. Por ventura, nos dias de hoje, o que é considerado "horroroso"; "abominável";"inaceitável" e outras coisas, é nada mais que resultado de divergências culturais, onde sobrevive o mais forte. Até nisso podemos ver a natureza, com o poder da seleção natural.

    ResponderExcluir
  2. Olá amigo Jefferson

    Muito bom comentário.
    Mas o interessante é que mesmo com todas as barbaridades , contradições , absurdos e fantasias muitos acreditam que a bíblia é a palavra de deus , é mole?

    E´como você mesmo diz , o negócio foi montado para manipular e os caras tem conseguido com maestria absurda.

    Abraço amigo e volte sempre!

    ResponderExcluir
  3. Por isso adoro os antigos romanos. Quando todos pensaram que o Império estava indo por água abaixo, os Romanos perdem o Império governamental, mas ganham o Império "espiritual". Podemos ver que o Império Católico Apostólico Romano está vivo até hoje, e mais rico e poderoso do que nunca!

    ResponderExcluir
  4. Olá Jefferson.

    Deixando um pouco de lado o lado perverso da coisa , realmente os romanos foram (e são)inteligentíssimos mesmo.

    Pena que não usam a inteligência para o bem da humanidade em geral e ainda em nossos dias incentivam idéias absurdas contra o uso da camisinha , e contra os estudos com células tronco por exemplo.

    Volte sempre amigo!

    ResponderExcluir
  5. Deus com certeza sabia de tudo meu caro. Que Adão e Eva iriam comer do fruto proibido. Porém se você acha que bondade significa que Deus deveria intervir para que eles não fizessem isso esta enganado. Muitos achavam Hitler bom também. Deus deu o livre arbítrio aos seus filhos. Quanto aos Deuses ele é sim o único Deus. Foi ele que ajudou o Egito nos 7 anos de fome e não os Deuses do Egito. Foi ele que derrubou Dagon o suposto Deus dos filisteus. Abraão, Moises, Jacó não iriam viver para sempre. Todos nós morremos um dia. A partir deles Deus cumpriu sim o prometido. Deus a partir da Bíblia fez vários pactos e o único que cumpriu esse pacto foi seu filho Jesus Cristo, no qual ele enviou para pagar os nossos pecados. Meu caro dizer que a Biblia é mentira, se você acredita somente no que vê, sinto muito mas não leia algo reticendo de sua opinião própria.
    Estude e não leia simplesmente.
    "De nada vale a riqueza no dia da ira divina, mas a retidão livra da morte. "
    Provérbios 11:4

    ResponderExcluir
  6. olha acho um verdadeiro absurdo esse tal de biblia acho um livro totalmente ultrapassado do tempo que furico era quadrado historinha pra boi durmir....

    ResponderExcluir
  7. nosso Deus nunca vi tanta ere zia em um lugar só,quem não conhece ha Biblia muito menos ha Deus não Deveria falar do que não sabe.... se vcs lerem ela vcs vai ver que num é isso... eu já fui ateu tbem eu sei do que eu to falando...

    ResponderExcluir